Pergunta de um passante em diálogo com a Carroça.

Parque da Redenção, abril de 2013.

A Carroça ou Armazém de Histórias Ambulantes é uma banca itinerante de escambo que tem como sede uma carrocinha. Atuando nas ruas de Porto Alegre desde 2007, oferece aos transeuntes uma coleção de produtos singulares gerados em parceria com seus colaboradores espontâneos.  A moeda necessária para levar o item desejado é a disponibilidade do interlocutor de contar uma história à/ao atendente de plantão. Os relatos recebidos retornam ao acervo d’A Carroça como novos produtos, gerando uma microeconomia poética, que faz circular fragmentos sensíveis, memórias e ficções anônimas.

Estamos na rua nas quartas-feiras à tarde, quinzenalmente, quando o tempo está favorável. Nosso ponto fixo é o Parque da Redenção. Estacionamos nas proximidades do chafariz central. Eventualmente, realizamos itinerâncias pela cidade, ou mesmo fora dela,  em parceria com outros territórios e instituições.

A Corroça de Histórias Ambulantes conta com a parceria do Atelier Livre Xico Stockinger desde 2012. Este trabalho conjunto tem se dado através das oficinas teórico vivenciais: Contar e Escutar no espaço público( 2012-2014), Histórias Ambulantes (2015-2016), do grupo de estudos Arte e Contexto(2017-2018), e mais recentemente da oficina Arte, experiência e narrativa(2019-2020). Ao longo deste percurso, este projeto colaborativo – que se insere na interface entre a experiência artística, pedagógica e cidadã – vem gerando uma multiplicidade de parcerias e desdobramentos criativos, sendo o ponto de origem de outros projetos de intervenção urbana e pesquisas acadêmicas. Este projeto conta com o apoio institucional do Parque Municipal Farroupilha ( A Redenção) , que tem sido o ponto fixo de trabalho da Carroça desde 2013.