Andanças

“Pra trabalhar na rua, de ambulante, tem que gostar de conversar, tem que gostar de gente”, ( conselho de Dona Cleonice, em 2006, quando nos vendeu seu antigo carrinho de cachorros-quentes nos inícios do negócio)

Janeiro de 2007: orla do Guaíba, a Carroça circula próximo à Usina do Gasômetro no contexto da exposição coletiva Encontro Plural, realizada na Galeria Iberê Camargo, no Centro Cultural Usina do Gasômetro, Porto Alegre (RS).

Abril de 2011: a Carroça abre nas quartas-feiras à tarde na Praça da Alfândega, no contexto da exposição coletiva Do Atelier ao Cubo Branco, realizada no Museu de Artes do Rio Grande do Sul.

Maio-junho de 2011: a Carroça faz sessão na calçada da rua Armando Barbedo, bairro Tristeza, zona sul de Porto Alegre, no contexto da exposição coletiva Experimento Zero, promovida pela iniciativa independente Espaço Plataforma, de Clóvis Martins Costa e Lizângela Torres. Apoio: Oficina de Costura da Tânia.

 Desde março de 2013: a Carroça abre quinzenalmente, sempre nas quartas-feiras à tarde, no entorno do chafariz central do Parque da Redenção. Parceria entre o coletivo A Carroça e o Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre.

Novembro de 2014: a Carroça faz uma sessão especial na Praça da Alfândega, a convite da Feira do Livro, em homenagem a Rosa Maria Gil Braga. Parceria: coletivo A Carroça, Feira do Livro e Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre.

Novembro de 2015: a Carroça faz sessão em frente à Escola Municipal Senador Alberto Pasqualini (bairro Restinga, em Porto Alegre), a partir do convite da professora Márcia Gomes, no contexto da feira do livro da escola. Parceria: comunidade da Escola Municipal Senador Arlindo Pasqualini, coletivo A Carroça e Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre.

Dezembro de 2015: a Carroça realiza três sessões no Hospital Nossa Senhora da Conceição, no bairro Cristo Redentor, em Porto Alegre.

– Primeira tarde (2/12): calçada em frente à entrada do hospital.

– Segunda tarde (8/12): na área de convivência próxima à emergência do hospital.

– Terceira tarde (15/12): versão camelô da Carroça no pátio interno do hospital, participando da feira promovida pelo grupo de artesãs Mil Artes/Chalé da Cultura.

Essas ações foram uma parceria entre: coletivo A Carroça, Atelier Livre da Prefeitura, Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Chalé da Cultura do GHC, Grupo Mil Artes, Núcleo de Pesquisa em Psicanálise, Educação e Cultura da UFRGS (NUPPEC-UFRGS).

 

A Carroça também já contou sua história em vários lugares:

Novembro de 2014: o Armazém de História Ambulantes recebe o Prêmio Açorianos como “Destaque literário”, a partir da votação espontânea do júri.

Abril de 2015: aula inaugural do curso de Artes Visuais da Universidade Luterana do Brasil.

Maio de 2015: depoimento sobre o projeto para a equipe de docentes da Escola Municipal Senador Alberto Pasqualini (bairro Restinga, em Porto Alegre).

Junho 2015:Cercas para quê(m)?”: debate promovido no Sarau da Sofia: sobre o projeto de cercamento do Parque Farroupilha, com o coletivo A Carroça (Ana Flávia Baldisserotto) e a arquiteta e urbanista Briane Bicca.

Setembro de 2015: a Carroça participa da palestra “Poiéticas permeáveis – A arte na calçada: por uma pedagogia do passante”, com Maria Helena Bernardes, no IV Simpósio Internacional Diálogos na Contemporaneidade, promovido pelo Centro Universitário Univates (Pró-reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-graduação do Centro de Ciências Humanas e Sociais e dos cursos de Letras e Pedagogia).

Outubro de 2015: a Carroça participa do encontro “Histórias pela cidade”, com a psicanalista Marieta Madeira, como parte do programa O sujeito na cultura, programa de diálogos entre psicanálise e cultura organizado por Paulo Gleich e Luiza Milano em parceria com a Arquipélago Editorial, com apoio da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA) e do Instituto de Letras da UFRGS.

Outubro 2015: a Carroça participa do “Seminário em Psicanálise I”, orientado pela professora Simone Moschen, no curso de Psicologia da UFRGS.

Maio de 2016: a Carroça participa da mesa de debates “Arte fora de si”, no contexto do seminário As novas regras do jogo: o sistema da arte contemporânea, no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFRGS, coordenado pela professora Maria Amélia Bulhões.

Outubro 2016: a Carroça participa do “Seminário em Psicanálise I”, orientado pela professora Simone Moschen, no curso de Psicologia da UFRGS.

Dezembro 2017: a Carroça é selecionada pelo edital do Espacio de Arte Contemporânea (EAC), de Montevideo, no Uruguai, para realizar uma residência e exposição no local.